Entrevistas |

#127 – Arte urbana: resistência, cultura e sociedade | Entrevista com Juliana Abramides

Conteúdo completo:


Nesta entrevista, Juliana Abramides nos conta sobre sua pesquisa envolvendo arte urbana, comparativamente entre as metrópoles de São Paulo e de Los Angeles/Califórnia. Também conversamos sobre problemas concernentes a questões de gênero, raça e classe, para se pensar o Brasil e o mundo contemporâneos.

Juliana Abramides é Doutora pelo Programa de Estudos Pós Graduados em Serviço Social da PUC-SP com estágio doutoral e bolsa sanduíche CAPES na Universidade da Califórnia, bolsista integral do CNPq com o projeto de tese – Graffiti e Pixo em Explosão. Possui graduação em Faculdade de Serviço Social pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Mestra em serviço social pelo Programa de Pós Graduação em Serviço Social da PUC-SP, defendeu a dissertação de Mestrado:Serviço Social e Cultura: processos criativos na mediação do trabalho profissional. Tem experiência na área de Serviço Social, com ênfase em Serviço Social, atuando principalmente nos seguintes temas: cultura, habitação, trabalho social, quilombo, redução de danos, extensão universitária e consultoria social para elaboração de projetos, avaliações, trabalhos com grupos e equipes de trabalho. Coralista no grupo Madrigal sob regência do maestro André Juarez.

Algumas das referências citadas na entrevista:

WACQUANT, Loïc. Marginalidade, Etnicidad y Penalidad en la ciudad neoliberal: una cartografía analítica.

WACQUANT, Loïc. Three steps to a historical anthropology of actually existing neoliberalism.

VAZ, Sérgio. Antropofagia Periférica. São Paulo: Cooperifa, 2012.

MOURA, Clóvis. Rebeliões da Senzala: quilombos, insurreições, guerrilhas. São Paulo: Editora Anita Garibaldi, 2014. 5ª. edição.

DUNAYEVSKAYA, R. American Civilization on Trial. Black masses as vanguard. 4th Expanded Edition. USA: National Editorial Board of News & Letters, August 1983.


View this post on Instagram

Arte urbana: resistência, cultura e sociedade | Entrevista com Juliana Abramides (link na bio) ⠀ ⠀ Nesta entrevista, Juliana Abramides nos conta sobre sua pesquisa envolvendo arte urbana, comparativamente entre as metrópoles de São Paulo e da Califórnia. Também conversamos sobre problemas concernentes a questões de gênero, raça e classe, para se pensar o Brasil e o mundo contemporâneos. ⠀ Juliana Abramides é Doutora pelo Programa de Estudos Pós Graduados em Serviço Social da PUC-SP com estágio doutoral e bolsa sanduíche CAPES na Universidade da Califórnia, bolsista integral do CNPq com o projeto de tese – Graffiti e Pixo em Explosão. Possui graduação em Faculdade de Serviço Social pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Mestra em serviço social pelo Programa de Pós Graduação em Serviço Social da PUC-SP, defendeu a dissertação de Mestrado:Serviço Social e Cultura: processos criativos na mediação do trabalho profissional. Tem experiência na área de Serviço Social, com ênfase em Serviço Social, atuando principalmente nos seguintes temas: cultura, habitação, trabalho social, quilombo, redução de danos, extensão universitária e consultoria social para elaboração de projetos, avaliações, trabalhos com grupos e equipes de trabalho. Coralista no grupo Madrigal sob regência do maestro André Juarez. ⠀ __________________________ ⠀ Caio Souto Conversações Filosóficas ⠀ #emcasa #arteurbana #cultura #sociedade #resitência #serviçosocial #gênero #raça #classe #pixação #grafitti #sãopaulo #losangeles #periferia #hiphop #artederua #conversacoesfilosoficas

A post shared by Caio Souto (@conversacoesfilosoficas) on


Compartilhe o conteúdo:

Facebook Twitter Linkedin
Canal do Youtube
Facebook
Instagram
Twitter
Receba por e-mail
Podcast no Spotify