Entrevistas |

#135 – Cosmopolítica: Antropoceno, entropia e o pensamento ameríndio | Entrevista Marco Antonio Valentim

Conteúdo completo:

Nesta rica entrevista, conversamos sobre diversos assuntos relacionados ao Antropoceno, envolvendo teorias científicas, pensamento cósmico, antropologia, filosofia e pensamento ameríndio, trazendo ao debate um amplo leque de autoras e autores de diversas orientações filosóficas e de épocas e regiões geográficas distintas.

Marco Antônio Valentim graduou-se em filosofia pela Universidade Federal do Paraná em 2000. Concluiu o mestrado em filosofia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em 2002. Concluiu o doutorado em filosofia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em 2007. Fez estágio pós-doutoral no Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social do Museu Nacional do Rio de Janeiro (2012-2013) e no Programa de Pós-Graduação em Filosofia da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (2017-2018). Desde 2006, é professor do Departamento de Filosofia da Universidade Federal do Paraná. Publicou estudos acerca de problemas metafísicos em filosofia antiga e moderna, e ensaios comparativos sobre antropologias ocidentais e ameríndias. Escreveu “Extramundanidade e sobrenatureza: ensaios de ontologia infundamental” (Cultura e Barbárie, 2018). É pesquisador do SPECIES – Núcleo de Antropologia Especulativa. Membro do GT Ontologias Contemporâneas da ANPOF.

Página pessoal de Marco Antonio Valentim no Academia.edu.

Algumas referências da entrevista:

Pierre Clastres: “Arqueologia da violência” e “A sociedade contra o Estado”

Georges Bataille: “A parte maldita” e “A noção de dispêndio”.

Claude Lévi-Strauss: “Tristes Trópicos” e a série “As mitológicas” (“O cru e o cozido”, “Do mel às cinzas”, “Origens dos modos à mesa” e “O homem nu”).

Marcel Mauss: “O ensaio sobre a dádiva”.

Davi Kopenawa e Bruce Albert: “A queda do céu”.

Ailton Krenak: “Ideias para adiar o fim do mundo” e “O amanhã não está à venda”.

Michel Serres: “O nascimento da física”.

Gilles Deleuze: “Lógica do sentido”.

Gilles Deleuze e Félix Guattari: “Mil Platôs”.

Carlos Castañeda: Obras completas.

Roy Wagner: “A invenção da cultura”.

Ilya Prigogine e Isabelle Stengers: “A nova aliança”.

Isabelle Stengers: “No tempo das catástrofes”.

Jean-Christophe Goddard e Eduardo Viveiros de Castro: “Brazuca, negão e sebento”.

Eduardo Viveiros de Castro: “A inconstância da alma selvagem”, “Metafísicas canibais”, “Araweté: Os Deuses Canibais”.

Déborah Danowski: “Negacionismos”, “Há mundo por vir? Ensaio sobre os medos e os fins”.

Bruno Latour: “O sentimento de perder o mundo agora é coletivo” .

Gregory Bateson: “Passos para uma Ecologia da Mente” e “Mente e Natureza”.

Georgescu-Roegen: “O decrescimento : Entropia, ecologia e economia”.

Dipesh Chakrabarty: “O clima da história: quatro teses”.

Entrevista com Marco Antonio Valentim para a Revista Ipeitas.

Entrevista com Marco Antonio Valentim “Fascismo, a política oficial do Antropoceno”.


View this post on Instagram

Cosmopolítica: Antropoceno, entropia e o pensamento ameríndio. Entrevista com Marco Antonio Valentim (link na bio) ⠀ Nesta rica entrevista, conversamos sobre diversos assuntos relacionados ao Antropoceno, envolvendo teorias científicas, pensamento cósmico, antropologia, filosofia e pensamento ameríndio, trazendo ao debate um amplo leque de autoras e autores de diversas orientações filosóficas e de épocas e regiões geográficas distintas. ⠀ Marco Antônio Valentim graduou-se em filosofia pela Universidade Federal do Paraná em 2000. Concluiu o mestrado em filosofia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em 2002. Concluiu o doutorado em filosofia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em 2007. Fez estágio pós-doutoral no Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social do Museu Nacional do Rio de Janeiro (2012-2013) e no Programa de Pós-Graduação em Filosofia da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (2017-2018). Desde 2006, é professor do Departamento de Filosofia da Universidade Federal do Paraná. Publicou estudos acerca de problemas metafísicos em filosofia antiga e moderna, e ensaios comparativos sobre antropologias ocidentais e ameríndias. Escreveu "Extramundanidade e sobrenatureza: ensaios de ontologia infundamental" (Cultura e Barbárie, 2018). É pesquisador do SPECIES – Núcleo de Antropologia Especulativa. Membro do GT Ontologias Contemporâneas da ANPOF. _____________________ Caio Souto Conversações Filosóficas ⠀ #emcasa #antropoceno #criseclimatica #cosmopolitica #pensamentoindigena #kopenawa #davikopenawa #ailtonkrenak #lucrecio #materialismo #entropia #termodinamica #deleuze #castaneda #antropologia #viveirosdecastro #clastres #levistrauss #canguilhem #bataille #michelserres #roywagner #arawete #yanomami #danowski #stengers #georgescuroegen #chakrabarty #caiosouto #conversacoesfilosoficas

A post shared by Caio Souto (@conversacoesfilosoficas) on


Comentários:


Compartilhe o conteúdo:

Facebook Twitter Linkedin WhattsApp Telegram Copiar link
Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial
Canal do YouTube
Instagram
Facebook
Twitter
Distribuição RSS