Entrevistas |

#154 – Crítica do progresso e da desigualdade em Rousseau | Entrevista com Maria Constança Peres Pissarro

Conteúdo completo:


Nesta conversa, abordamos inicialmente o tema da crítica ao progresso tal como desenvolvido por Jean-Jacques Rousseau. Também falamos sobre como esse autor se insere no contexto do iluminismo francês do século XX. Falamos, ainda, sobre o conceito de desigualdade e de sua origem social, e não natural. Abordamos também a recepção da obra desse autor no Brasil, e sobretudo de dois professores que foram fundamentais para seus estudos: Bento Prado Jr. e Luis Roberto Salinas Fortes. Por fim, falamos da atualidade de seu pensamento e da crítica ao modelo do progresso.

Maria Constança Peres Pissarro possui graduação em Filosofia pela Universidade de São Paulo, graduação em Língua Francesa – Université de Nancy I/III, mestrado em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e doutorado em Filosofia pela Universidade de São Paulo. É professora do Departamento de Filosofia da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Tem experiência na área de Filosofia, com ênfase em Filosofia Política, atuando principalmente nos seguintes temas: liberdade, filosofia, natureza, ética e poder. Membro colaborador da edição do tricentenário das “Oeuvres complètes” de Jean-Jacques Rousseau, sob a direção de Jacques Berchtold, François Jacob e Yannick Séité – EDITIONS CLASSIQUES GARNIER – www.classiques-garnier.com. Coordenadora, junto com a Profa. Maria das Graças de Souza (USP) da organização do Tricentenário de Jean-Jacqes Rousseau no Brasil (setembro de 2012). Editora da revista Poliética: Revista de Ética e Filosofia Política. Vice-presidente da ABES 18 – Associação Brasileira de Estudos do Século XVIII. Coordenadora do CER (Centro de Estudos Rousseau), grupo de pesquisa PUC-SP e CNPq.


View this post on Instagram

Crítica do progresso e da desigualdade em Rousseau | Entrevista com Maria Constança Peres Pissarro (link na bio) ⠀ Nesta conversa, abordamos inicialmente o tema da crítica ao progresso tal como desenvolvido por Jean-Jacques Rousseau. Também falamos sobre como esse autor se insere no contexto do iluminismo francês do século XX. Falamos, ainda, sobre o conceito de desigualdade e de sua origem social, e não natural. Abordamos também a recepção da obra desse autor no Brasil, e sobretudo de dois professores que foram fundamentais para seus estudos: Bento Prado Jr. e Luis Roberto Salinas Fortes. Por fim, falamos da atualidade de seu pensamento e da crítica ao modelo do progresso. ⠀ Maria Constança Peres Pissarro possui graduação em Filosofia pela Universidade de São Paulo, graduação em Língua Francesa – Université de Nancy I/III, mestrado em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e doutorado em Filosofia pela Universidade de São Paulo. É professora do Departamento de Filosofia da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Tem experiência na área de Filosofia, com ênfase em Filosofia Política, atuando principalmente nos seguintes temas: liberdade, filosofia, natureza, ética e poder. Editora da revista Poliética: Revista de Ética e Filosofia Política. Vice-presidente da ABES 18 – Associação Brasileira de Estudos do Século XVIII. Coordenadora do CER (Centro de Estudos Rousseau), grupo de pesquisa PUC-SP e CNPq. ⠀ ______________________________ Caio Souto Conversações Filosóficas ⠀ #emcasa #rousseau #sociedade #contrato #natureza #cultura #bentopradojr #salinasfortes #filosofia #progresso #crítica #homem #humanidade #hobbes #locke #contratualismo #sentimento #amordesi #ética #linguagem #política #filosofiapolítica #origem #desigualdade #iluminismo #esclarecimento #caiosouto #conversacoesfilosoficas

A post shared by Caio Souto (@conversacoesfilosoficas) on


Compartilhe o conteúdo:

Facebook Twitter Linkedin
Canal do Youtube
Facebook
Instagram
Twitter
Receba por e-mail
Podcast no Spotify