Lives |

#202 – Som, música e poder(es): quando o ruído e o silêncio comunicam | Live com Juliana Carla Bastos

Conteúdo completo:

Juliana Carla Bastos é doutora em Etnomusicologia e Professora Adjunta no Curso de Licenciatura em Música da UFPB, membro da “Society for Ethnomusicology” (SEM – Indiana University) e da “Roda Bem Gestar UFPB: prevenção quaternária contra violência obstétrica e promoção dos direitos sexuais e reprodutivos das mulheres”. Seus interesses de pesquisa atualmente concentram-se em investigações sobre a ética sonora, contemplando também ecomusicologia, música popular urbana, cultura quilombola, processos de transmissão musical e práxis do ensino da música. É fundadora e coordenadora do LABETS – Grupo de Pesquisa “Laboratório de Ética Sonora da UFPB”.

Links mencionados na conversa:

Awaken Love Band.

Comparação auditiva e sensorial entre 432 e 440 HZ.

Laboratório de Ética Sonora da UFPB: Instagram, Facebook, YouTube.

Formulário para participar das rodas de debate online sobre ética sonora.

Alguns trabalhos que falam sobre a consolidação histórica da afinação em 440 HZ: CANAVAGH, Lynn. A brief history of the establishment of international standard pitch a=440 hertz. In: WAN – Webzine about Audio and Music, 2009.

Levitin, D. Absolute memory for musical pitch: Evidence from the production of learned melodies. In: Perception & Psychophysics, v. 56, n. 4, 1994. p.414-423.

PALMBLAD, Simon. A=432: A superior tuning or just a different intonation? How tuning standards affects emotional response, timbre and sound quality in music. 44 p. Trabalho de conclusão de curso (Bacharelado em Artes, Mídia, Estética e Narração) – Högskolan I Skövde, 2018.


Comentários:


Compartilhe o conteúdo:

Facebook Twitter Linkedin WhattsApp Telegram Copiar link

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial
Canal do YouTube
Instagram
Facebook
Twitter
Distribuição RSS