Entrevistas |

#23 – O pensamento indígena e a superação da colonialidade | Entrevista com Mateus Uchôa

Conteúdo completo:


Iniciando esta entrevista com uma resposta a uma pergunta sobre a diferença entre os termos “descolonial” e “decolonial”, Mateus Uchôa percorre um leque muito grande de autores extremamente atuais que realizam uma crítica ao “progresso civilizatório” que culminou no desenvolvimento do Antropoceno (era geológica na qual a ação humana acarretou numa modificação dos processos biofísicos do planeta). Entre os autores mencionados nesta rica entrevista, estão indígenas e ocidentais, entre eles: Davi Kopenawa e Bruce Albert, Ailton Krenak, Daniel Munduruku, Viveiros de Castro, Isabelle Stengers, Marco Antonio Valentim, Bruno Latour, Philippe Descola, entre outros. Também foi tema desta conversa a relação entre arte e pensamento.

Mateus Uchôa possui graduação em Filosofia pela Universidade Federal do Ceará e mestrado em Filosofia pela Universidade Federal do Ceará com estágio discente complementar do programa PROCAD pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. É também mestre em Artes pela Universidade Federal do Ceará, com ênfase em arte contemporânea. Desenvolveu pesquisa de doutorado na linha de Estética e Filosofia da Arte pela Universidade Federal de Minas Gerais. Tem interesse em Crítica da economia política, Estética, Antropologia, Cosmopolítica e Questão ambiental. Atualmente tem interesse na área de Etnologia Indígena e na articulação de ideias ameríndias com questões da filosofia contemporânea.


View this post on Instagram

O pensamento indígena e a superação da colonialidade Entrevista com Mateus Uchôa. Iniciando esta entrevista com uma resposta a uma pergunta sobre a diferença entre os termos "descolonial" e "decolonial", Mateus Uchôa percorre um leque muito grande de autores extremamente atuais que realizam uma crítica ao "progresso civilizatório" que culminou no desenvolvimento do Antropoceno (era geológica na qual a ação humana acarretou numa modificação dos processos biofísicos do planeta). Entre os autores mencionados nesta rica entrevista, estão indígenas e ocidentais, entre eles: Davi Kopenawa e Bruce Albert, Ailton Krenak, Daniel Munduruku, Viveiros de Castro, Isabelle Stengers, Marco Antonio Valentim, Bruno Latour, Philippe Descola, entre outros. Também foi tema desta conversa a relação entre arte e pensamento. Mateus Uchôa possui graduação em Filosofia pela Universidade Federal do Ceará e mestrado em Filosofia pela Universidade Federal do Ceará com estágio discente complementar do programa PROCAD pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. É também mestre em Artes pela Universidade Federal do Ceará, com ênfase em arte contemporânea. Desenvolveu pesquisa de doutorado na linha de Estética e Filosofia da Arte pela Universidade Federal de Minas Gerais. Tem interesse em Crítica da economia política, Estética, Antropologia, Cosmopolítica e Questão ambiental. Atualmente tem interesse na área de Etnologia Indígena e na articulação de ideias ameríndias com questões da filosofia contemporânea. ____________________________ Caio Souto caiosouto@gmail.com #decolonialidade #decolonial #kopenawa #filosofiaearte #arte #politica #filosofiapolitica #filosofia #indigena #pensamento #emcasa #entrevista #conversacoesfilosoficas #nativo #quarentena #pandemia #krenak #antropologia #antropofagia #américa

A post shared by Caio Souto (@conversacoesfilosoficas) on


Comentários:


Compartilhe o conteúdo:

Facebook Twitter Linkedin WhattsApp Telegram Copiar link
Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial
Canal do YouTube
Instagram
Facebook
Twitter
Distribuição RSS